Os gatos e o SARS-CoV-2

As ultimas noticias sobre um gato na Bélgica infectado por coronavirus, tem causado muitos comentários errados sobre a situação. O fato de o  exame ter dado positivo não significa que o gato esteja doente. O material analisado foi vômito e fezes, que poderiam estar contaminados até pelo próprio ambiente, já que o tutor estava acometido com COVID-19. As informações não são claras sobre a obtenção das amostras, e os sintomas apresentados pelo felino, são compatíveis com outras patologias que os gatos podem ter. Outro ponto, o felino não foi examinado por veterinários, foi realizada uma teleconferência com a universidade de Liège.

Em outro caso,  foi relatado que tigres no zoológico de Nova Iorque, tiveram sintomas de COVID-19, e acreditam que a única possibilidade de contágio, foi pelo tratador assintomático (não comprovado).  Uma única tigresa foi testada, e não foi esclarecido sobre a obtenção das amostras, e da mesma forma, existem outras patologias em felinos com sintomas semelhantes aos causados pela COVID-19. Portanto mais um artigo, sem dados seguros, para se afirmar que os tigres estavam com COVID-19.

Um estudo chinês que ainda não foi publicado,  relata a transmissão de um gato para outro, porém devemos considerar que: o número de gatos é extremamente pequeno, apenas 5 gatos e nenhum deles teve sintomas.  A inoculação do vírus feita de forma artificial, não necessariamente expressa a realidade. Deve-se considerar também, a carga viral inoculada, a situação de saúde inicial dos gatos (não se sabe se esses gatos tinham outras patologias virais comuns como FIV, FeLV, complexo respiratório felino)  e o stress em que  foram submetidos. As amostras obtidas foram das fezes, ou seja, não se obteve amostra de cavidade nasal ou nasofaringea (principal tropismo do vírus) pois os gatos eram agressivos,  nem foi feita necropsia de pulmão (principal órgão alvo da doença), para evidenciar as alterações compatíveis com a COVID-19. Portanto os dados não comprovam a doença em si, apenas mostram que o vírus passou pelo trato gastrointestinal dos gatos.

Ou seja, não há nenhuma evidência científica de que os gatos e tigres tiveram a doença COVID-19. O teste RT- PCR utilizado,  analisa fragmentos virais, que podem ter sido ingeridos pelos felinos devido a contaminação ambiental. Todas as formas apenas mostram que o vírus passou pelo organismo do felino. E em nenhuma situação os felinos transmitiram o vírus a um humano. Em todos os casos sintomáticos (semelhantes aos sintomas de COVID-19), eles se recuperaram bem (caso da Bélgica e dos tigres). E no estudo chinês, de inoculação artificial, eles foram positivos no teste, porém assintomáticos para a doença.

Cuidados sempre devem ser tomados, medidas de higiene, lavar as mãos, não permitir que o felino tenha acesso a rua, podendo servir como fômite (carreador) talvez. Pessoas doentes com COVID-19, devem ter cuidado no contato com seus animais também, pela eliminação (humana) do vírus no ambiente. Os cuidados são os mesmos para contactantes humanos. Não abandone seus animais.

Deixar um Replay

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*