Síndrome de Pica, você já ouviu falar?

Seu gatinho tem o hábito de comer objetos não comestíveis? Isso se chama Síndrome de Pica. A pica é definida como o desejo constante e compulsivo de ingerir itens não comestíveis por um período superior a 30 dias. Os objetos mais comumente ingeridos são plástico, tecido, lã, elásticos de cabelo, fios e até mesmo pêlos (dermatite psicogênica).  Pode ter origem devido a deficiência nutricional (diminuição dos níveis de ferro, distúrbios metabólicos, dietas extremamente restritivas), patológica (por exemplo: hipertiroidismo e quadros anêmicos decorrentes de FIV, FeLV, Mycoplasma) , mas na grande maioria das vezes está associada ao stress (desmame precoce, mudanças na rotina, ambiente restritivo, introdução de um novo animal, perda do tutor, grandes períodos sozinho, pouca interação com o tutor, entre outros). Em um estudo nos Estados Unidos observou-se maior predisposição dos gatos siameses e mestiços de siameses.

A Síndrome de Pica é grave, pois os objetos podem causar obstrução intestinal, sendo necessária cirurgia de emergência, pois pode levar o gatinho a óbito. Por isso é importante tratar.

O primeiro passo, é eliminar as causas nutricionais e patológicas, para tentar identificar o que desencadeia o comportamento. Considerando-se a situação de stress, muitas vezes não conseguimos identificar o gatilho, mas existem algumas maneiras de enriquecimento que podem ajudar muito. Não só o enriquecimento ambiental, mas também, o cognitivo, alimentar, além da interação do tutor com o gatinho, e mesmo assim, na maioria dos casos, a terapia medicamentosa é necessária.

Vários fatores devem ser considerados e corrigidos quando preciso. Estimular outros comportamentos alimentares, com variedades de texturas de alimentos, verticalizar o ambiente, momentos de interação e brincadeiras, são essenciais. E associado a tudo isso, a terapia medicamentosa se faz necessária em muitos casos. Cada caso, deve ser tratado individualmente, com acompanhamento veterinário (imprescindível), pois é um tratamento longo, e exige comprometimento do proprietário.

                        

Deixar um Replay

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*