A importância da vacinação.

A vacinação em gatos ainda é um assunto que gera algumas dúvidas aos tutores. Vou tentar esclarecer alguns critérios que a medicina felina leva em consideração quanto a necessidade ou não da vacinação, e tipo de vacina.

Existem no Brasil 3 tipos de vacinas para gatos, além da anti-rábica. São tríplice (V3), quádrupla (V4) e quintupla (V5).

Protegem contra panleucopenia, rinotraqueite, calicivirus (V3, V4 e V5), clamidia (V4 e V5) e leucemia (V5). A vacinação em gatos deve ser muito criteriosa, levando em conta o acesso a rua ou não, contato com outros gatos, viver em colônias, participar de exposições ou se o gato tem alguma doença crônica.

Ao contrário do esquema de vacinação dos cães, não é porque a vacina inclui mais antígenos (agentes causadores de doenças) que é a melhor vacina. Deve-se levar em conta a porcentagem de eficácia da vacina, o intervalo entre uma dose e outra, período de reforço, e a necessidade de vacinação, que deve ser adequada ao estilo de vida e hábitos do felino. Gatos com doenças crônicas devem ser avaliados, considerando a estabilidade da doença, riscos de piora e necessidade da vacinação de acordo com risco de exposição a determinado vírus.

Existem alguns casos de gatos refratários a determinados antígenos, reações vacinais, por isso a importância de realizar um protocolo de vacinação individual, de acordo com a necessidade do gato.

Os gatos se dividem basicamente em 2 grupos:

  • Gatos considerados domiciliados (que vivem em casas ou apartamentos telados, sem acesso á rua) quando filhotes, devem receber 3 doses da V3 (se o esquema de vacinação iniciar-se aos 2 meses de vida) ou 2 doses da V3 (se o esquema de vacinação iniciar-se após 3 meses de idade). O intervalo entre uma dose e o reforço, é de 3 a 4 semanas. Depois segue-se reforço anual.
  • Gatos semi-domiciliados (com acesso a rua) ou gatos de colônias, gatos de voluntários de ONGs que realizam LT (lar temporário de outros gatos vindos de resgate, sem vacinação e histórico) devem receber a V5. Realizada uma dose e um reforço em 3 a 4 semanas. Depois, anual.

Por ultimo, aos 4 meses, deve ser realizada a vacinação antirrábica, obrigatória por lei, no mundo todo.

Sempre antes de vacinar, o gatinho deve ser avaliado, realizando-se o exame físico e em alguns casos, exames de sangue antes da vacinação.

Consulte sempre seu veterinário de confiança!

 

Deixar um Replay

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*